O Veg+ surge considerando os desafios relacionados à escassez de recursos naturais, às mudanças climáticas e ao crescimento populacional, com reflexos na segurança alimentar e nutricional. Uma mudança em direção a dietas mais saudáveis, incluindo a sustentabilidade, requer o envolvimento de múltiplos atores, públicos e privados, bem como considerando o percurso do alimento da produção ao consumo.

O Veg+ apresenta uma plataforma colaborativa para abordar prioridades globais por meio de ciência de excelência, liderança acadêmica e enfrentamento de desafios sociais, além de estar alinhado aos Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (melhorar a alimentação e promover a agricultura sustentável, 2016). A Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) declarou o período entre 2019-2028 como a década da agricultura familiar. Os agricultores familiares são reconhecidos como líderes essenciais na busca desses objetivos estabelecidos pela ONU, especificamente em “garantir a segurança alimentar global, erradicando a pobreza e a fome, conservando a biodiversidade e alcançando a estabilidade ambiental”. Pequenos agricultores familiares têm habilidade para produzir alimentos saudáveis e nutritivos que conservem a biodiversidade, adaptar-se às mudanças climáticas e desenvolver a economia por meio de cadeias curtas de produção e mercados locais.

O projeto Veg+ busca estabelecer uma abordagem integrada com enfoque ao suporte do setor da agricultura familiar, potencialmente promovendo proteção ambiental, fomentando mercados e serviços para produtos locais, bem como auxilando na prevenção do desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis. Serão considerados fatores que influenciam o consumo de vegetais por jovens adultos, buscando a promoção de pequenos empreendimentos rurais e ampliando o conhecimento gerado pelo projeto VeggiEAT (www.veggieat.eu), financiado pela União Europeia durante o período de 2013-2017 sob a coordenação da Bournemouth University, Reino Unido.

PACOTES DE TRABALHO E MÉTODOS

O projeto está dividido em 5 Pacotes de trabalho (Workpackages – WP):

WP1 – Avaliação do estado da arte e desenho de ferramentas metodológicas

Objetivo: desenvolver a colaboração entre a UFSC e a BU por meio da avaliação do estado da arte sobre a temática e possibilitar o desenho de ferramentas metodológicas a serem utilizadas nos pacotes de trabalho seguintes.

Método: revisão sistemática da literatura sobre consumo de legumes e verduras por adultos jovens e avaliação de metodologias prévias utilizadas para abordar a produção/fornecimento de alimentos pela agricultura familiar.

WP2 – Fornecimento por agricultores locais

Objetivo: determinar os mecanismos, protocolos e práticas mais efetivos para aumentar o fornecimento de legumes e verduras em Santa Catarina via cadeia curta, incluindo elaboração de questionário, coleta, processamento e análise de dados (UFSC). O contato com os agricultores será facilitado por meio da CEPAGRO (parceiro do projeto).

Métodos: Entrevistas com os agricultores, por meio de roteiro a ser estabelecido no WP1. O conteúdo será transcrito e analisado pela equipe da UFSC, por meio de Analise Temática.

WP3 – Consumo de legumes e verduras por adultos jovens

Objetivo: avaliar as atitudes relacionadas ao consumo de legumes e verduras por adultos jovens e propor estratégias para aumentar o consumo de legumes e verduras por essa população do ponto de vista do fornecimento de refeições institucionais.

Métodos: Aplicação de questionários online com estudantes universitários – coleta e análise  pela UFSC. A resposta dos consumidores a diferentes modelos do método denominado Arquitetura de Escolha será testada em um ambiente de consumo real em estudo piloto. Um estudo de intervenção considerando a melhor resposta aos métodos testados no piloto será conduzido no restaurante universitário da UFSC.

WP4 – Modelo empírico

Objetivo: coproduzir um modelo inovador empírico articulando o fornecimento local e os determinantes para aceitabilidade de legumes e verduras visando o aumento do consumo em restaurantes institucionais, dentro dos princípios da SAN, para informar politicas e práticas.

Métodos: Modelo de equação estrutural baseada em Ulmann & Bentler, 2013.

WP5 – Divulgação e envolvimento da comunidade

Objetivo: disseminação do conhecimento baseado em evidências gerado, com ênfase em ciência aberta e conhecimento para todos. Divulgação/disseminação por meio de artigos acadêmicos; participação conferências e eventos acadêmicos; promoção de Workshops e seminários, fóruns de debate, eventos com a comunidade, principalmente produtores rurais locais; criação e manutenção de website do projeto, e disseminação em mídias sociais; vodcasts.